Brasil morrendo com as mãos atadas

A cena grotesca no cinema do MorumbiShopping onde um assassino matou 3 com uma MAC-11 desencadeou comentários irracionais como é a prática nos Eua sempre que lá ocorre um massacre desses. Estamos sempre importando o que há de pior dos Eua: filmes irracionalmente violentos, assassinatos em massa e reações que ignoram a lógica.

Como Thomas Sowell já chamou a antenção em uma carta traduzida e publicada neste sítio, sempre que ocorre um massacre, a reação, para interromper o massacre, é mandar gente armada pra enfrentar o assassino armado. Porém, curiosamente, a reação de muitos políticos após tal evento é querer desarmar ainda mais as vítimas. E não desarmá-las nas ruas, pois as restrições contra o porte já o fazem. O que os brilhantes políticos anti-armas querem fazer é dificultar ainda mais a compra legal de armas pra a defesa dos lares! Ou seja, não bastam os massacres nas ruas, cinemas, e escritórios, locais onde todos estão desarmados. Vamos expandir o derramamento de sangue para as residências. Não é coincidência que o massacre do Vigário Geral tenha ocorrido numa área pobre, onde existe uma boa chance dos residentes estarem desarmados. Pelo jeito os governantes querem que todos tenham igual oportunidade de morrer num massacre residencial, seja você um morador do Vigário Geral ou de Ipanema. Igualdade pra todos!

Outra coisa curiosa é que os governantes anti-armas, ou os líderes da campanha pelo desarmamento em geral, são todos ricos e/ou poderosos que andam com guarda armada e que continuarão com a guarda armada mesmo após o desarmamento que eles defendem. Eles clamam pelo o desarmamento dos outros, nunca o próprio. É realmente o cúmulo da hipocrisia. Seria fascinante ouvir a racionalização dessa postura. Talvez o Presidente da República e o Roberto Marinho achem que suas vidas valem mais do que a vida da minha família. Deus sabe o que essa turma tem na mente-- só sei que não cheira bem!

Mais uma: porque os governantes não agarram a chance de desarmar a polícia quando fica claro que policiais corruptos participaram de uma chacina? Como um relógio parado, os anti-armas estão corretos somente 2 vezes por dia: seria burrice punir toda a polícia porque 0.01% da mesma participou de chacinas. Concordamos! Mas a lógica para aí. Tal argumento não se extende para defender a posse legal de armas por civis que não matam e não roubam quando um civil mata ou rouba com arma ilegal. A breve lógica dos anti-armas não se deve à inteligência dos mesmos, mas se explica da seguinte forma. Os que acreditam que os governantes existem para servir os governados não toleram a idéia dos governantes terem direitos exclusivos, especialmente direitos que colocam o valor da vida dos governantes bem acima do valor da vida dos governados. Noventa por cento desse grupo defende a posse legal de armas por civis e policiais honestos. Já os anti-armas, na sua grande maioria, compõem a visão oposta: nós, os civis, somos as ovelhas e galinhas na fazenda do mestre, o ESTADO, e estamos aqui para sermos sacrificados em nome do ESTADO. Tudo pelo ESTADO, nada pelo indivíduo. O ESTADO está acima, o indivíduo abaixo. O indivíduo existe para o ESTADO, e não o contrário. Por isso, armemos o ESTADO e taxemos mais os civis para a compra de metralhadoras, escopetas, fuzis e pistolas para os membros do ESTADO. O civil é um tolo, que com uma arma na mão matará um amigo ou a esposa num bate-boca. O ESTADO é um sábio, e seus membros são os únicos com a alta capacidade intelectual de puxar o gatilho de uma arma. O civil assassino demonstra o quão impróprio é um povo armado; o assassino membro do ESTADO é uma aberração que nada demonstra. O porte de arma legal por civis é um processo extremamente complicado e independe da profissão do indivíduo; membros do ESTADO, dependendo da profissão, automaticamente recebem um porte, e muitos têm o direito de emitir portes para amigos e familiares.

Agora voltemos ao massacre no MorumbiShopping. O assassino, Mateus da Costa Meira, comprou uma arma ilegal, de calibre ilegal, fez porte e transporte ilegal da arma, mas muito pior que isso, matou 3 pessoas. Exemplo perfeito do que Beccaria escreveu há mais de 200 anos atrás: leis contra a posse ou o porte de armas desarmam somente aqueles sem qualquer intenção criminosa. Os bandidos, capazes de quebrar as mais altas leis, pouco se importam com as pequenas, e portanto levam tremenda e injusta vantagem contra as vítimas. No combate ao mal, no lugar de tentarmos desarmar com leis aqueles que não seguem as mais altas leis do código penal, deveríamos nos preocupar com a nossa habilidade legal de nos defendermos. Abrir mão da habilidade legal de defesa, em busca do desarmamento dos vermes, claramente NÃO ESTÁ FUNCIONANDO!

Lamentavelmente é uma questão de tempo ou sorte até que ocorra outro evento semelhante, pois todos os ingredientes estão presentes para mais tragédias: vítimas que seguem as leis anti-armas (ou seja, são alvo fácil), vasta disponibilidade de armas no mercado negro pra qualquer um com dinheiro, vasta disponibilidade de vermes deprimidos que nunca foram e nunca serão nada na vida, e uma mídia seca por tragédias que rapidamente transforma um verme em estrela internacional.

John Lott, autor de "Mais Armas, Menos Crimes", já escreveu sobre o resultado mais notável do porte não-discriminatório de armas: redução dos assassinatos em massa. Lott, professor de economia e direito, explica que os autores dessas barbáries estão dispostos a pagar um alto preço (prisão perpétua ou pena de morte nos Eua para aqueles que sobrevivem à ação policial) pelo alto número de vítimas. Porém em locais onde a população adulta civil legalmente anda armada, o provável custo da barbárie aumenta (o verme acabará fuzilado por um civil no local) enquanto que o provável número de vítimas diminue! Os israelenses já notaram isso há muito tempo, e massacres onde as vítimas são fuziladas à bala são coisas do passado.

Em 31 estados americanos, obter um porte de arma para aquele sem histórico criminoso ou de doença mental é bem simples, e não depende de quanto dinheiro você tem no banco, ou de quem são seus amigos. Em alguns casos, o processo todo se dá pelo correio, e o civil somente tem de ir a uma delegacia local pra tirar as impressões digitais. Em Vermont, um dos estados mais pacíficos da república norte-americana, a lei diz somente que você não deverá portar armas com intenção criminosa-- não há qualquer tipo de licença! É surpresa que estes sejam os estados onde houve a maior queda percentual na criminalidade violenta? É surpresa que cidades onde o porte legal de armas é quase impossível tenham sérios problemas com a violência armada?

Só não enxerga quem não quer: ladrões, assassinos e estupradores odeiam vítimas armadas e adoram leis anti-armas! Vamos dar um basta a estas estúpidas e injustas leis! Por que insistir com tais leis quando elas claramente não estão funcionando? Por que insistir com tais leis quando, num país livre, o estado nunca terá a capacidade de defender o indivíduo 24 horas por dia? Por que favorecer a justiça incerta e atrasada diante da injustiça certa e iminente? Quantas pessoas doces e maravilhosas terão de morrer em nome de idiotas leis que dão vantagem aos vermes? POR QUE UM POVO TÃO CALOROSO E AMÁVEL DEVE SE SUBMETER A TAL DERRAMAMENTO DE SANGUE COM AS MÃOS ATADAS NAS COSTAS?

--------
retornar