Um resumo das farsas

O massacre no MorumbiShopping de pessoas que seguiam as tolas leis anti-armas levou o senador José Roberto Arruda a parir no senado uma proposta de lei semelhante a do governo F.H. (Freudlicher Hitler?), ou seja, uma proposta que confiscaria todas as armas legais, proibindo a compra de armas novas e, surpresa, proibindo as armas que ja' estão proibidas: aquelas na mão dos bandidos. Mais uma farsa pra coleção do governo.

O presidente, também tirando proveito dos corpos ainda quentes, se reuniu com seus amigos do Viva Rio (que deveria se chamar "Morra Rio") e com a Secretária Nacional de Justiça (ou Injustiça?) e co-fundadora do Viva Rio, Elizabeth Sussekind, pra trocar idéias sobre como perseguir e massacrar os proprietários legais de armas, isso enquanto os bandidos correm soltos pelas ruas com fuzis H.K., Sig e Galil. Nada melhor do que punir e massacrar aqueles que seguem as leis pra passar a imagem de um governo atuante. Outra farsa.

Nessa conversa com o nosso ditador presidente eleito, o Viva Rio deixou claro que gostaria que o atual relator da lei do desarmamento, Deputado Federal Alberto Fraga, fosse trocado! Fraga, apesar de estar propondo algo com o qual não concordamos, enxerga bem o suficiente pra ver que a proposta do presidente é uma irresponsável farsa que custará a vida de muita gente, e por isso ele se opõe totalmente à proposta do presidente.

A mais nova farsa é que o governo estaria negociando com o Congresso pra permitir que colecionadores, desportistas e caçadores mantenham suas armas. Qualquer um que se sinta alegre com tal notícia está cometendo grave engano, exceto os bandidos, que já devem estar abrindo a champagne! Gente, isso é uma total farsa!! A razão principal para a posse de armas por civis é exatamente a defesa da vida honesta! Caçar, colecionar e competir são satélites da razão principal. A inversão de valores permitirá que o governo facilmente confisque o resto das armas, no próximo capítulo deste governo "atuante". Não se iluda quanto a isso. Muito infelizmente, existem milhares de atiradores, no Brasil e no resto do mundo, que não enxergam isso. Eles não participam em nada dos movimentos cívicos contra o bárbaro movimento pela a vida indefesa e se preocupam somente com a nova prensa Lee e a última edição do Shooter's Bible, até o dia em que a proibição bate na porta. E também no Brasil e no resto do mundo, a atuação dos anti-armas é exatamente a mesma: faça todo o necessário, incluindo acordos, mas sempre, sempre ocupe mais espaço; sempre tome um pedaço das liberdades do cidadão honesto; sempre use a desculpa do momento, aquela que cola, pra banir, proibir e confiscar o que for. Se a defesa da vida por civis for proibida, e as atividades satélites forem permitidas, qual serão as desculpas de amanhã pra tomar as armas legais que sobraram?

1. "O tiro esportivo promove a cultura da violência"- Essa é velha, apesar de eu não conhecer nenhuma modalidade de tiro esportivo que cause mais dano ao cérebro do que 5 minutos de novela da Globo.

2. "Pra que colecionar armas? Vá colecionar selos"- Já estamos ouvindo esta hoje.

3. "Rifles de caça são os favoritos dos snipers; armas de caça são muito poderosas; escopetas de cano cerrado são letais e cabem debaixo do casaco"- Se você ainda não ouviu essas, treine seu inglês lendo alguns dos sítios anti-armas americanos. Novamente, toda desculpa que cola é usada. É óbvio que estas armas são capazes de grande estrago, caso contrário os caçadores não as usariam. Porém uma vez aceita a proibição de armas usadas na caça de animais perigosos que atacam sua família à noite, está aberta a porteira pra proibir tudo mais que pode ser usado com a mesma finalidade. Os anti-armas pouco se importam com as capivaras e veados-- mesmo que custe a sua vida, o que eles querem proteger são os bandidos!

4. "Pessoas estão se armando para se defender e usam a coleção de armas como desculpa"- Essa também ocorre hoje-- e não raramente partindo dos próprios militares (supervisores do colecionadorismo de armas no Brasil). Os anti-armas amariam destruir, com rolos-compressores durante um show da Daniela Mercury no Maracanã, as mais belas e valiosas peças do país.

Ainda nesse tema, permitir as atividades de tiro satélites enquato se proibe a defesa armada da vida é uma canalhice típica de país tirano! Os comunistas, sempre preocupados com a imagem externa, nunca perderam a oportunidade de gratificar um pequeno grupo com os privilégios necessários para a obtenção de medalhas olímpicas-- mesmo que 99% da população não tenha acesso legal ou financeiro a esses privilégios. A inversão de valores desses países, semelhante à que o governo estaria negociando, era e é prepóstera. Confesso que fico envergonhado quando ouço o argumento pró-armas sobre a primeira medalha de ouro olímpica do Brasil (que foi obtida no tiro). Medalhas devem ser um reflexo da saúde e da liberdade de um povo-- e não do quão capaz é a máquina de propaganda que pinta uma imagen falsa do país. Qual sentido faz ter o direito legal de atirar num alvo de papel sem o direito legal de atirar num marginal armado dentro do seu lar? A importância das armas para a obtenção de medalhas olímpicas segue atrás e com grande distância a importância das armas na defesa da vida.

Se todos os proprietários de armas não reclamarem diante de tanta farsa, calúnia e omissão dos anti-armas, nosso destino será descrito pela as palavras de Edmund Burke (1729-1797):

"Quando os maus homens se combinam, os bons tem de se associar, ou então eles cairão, um por um, um cruel sacrifício num desprezível conflito".

--------
retornar